Dólar e juros sobem após Mantega

Cotação da moeda e taxas são pressionadas no mercado eletrônico porque governo frustrou expectativas

Denise Abarca, Silvana Rocha e Claudia Violante, O Estadao de S.Paulo

14 de maio de 2008 | 00h00

Os juros e o dólar futuros na sessão eletrônica da BM&F reagiram em alta à negativa do ministro da Fazenda, Guido Mantega, para um aumento formal da meta de superávit primário com o objetivo de compor o fundo soberano. Diante da constatação de que a política monetária não terá ajuda extra de uma meta maior do lado fiscal para combater a inflação, os investidores que haviam reduzido nas sessões regulares suas posições compradas passaram a refazê-las no after market, trazendo pressão às taxas e cotações. Após fechar no viva-voz estável em 14,20%, o juro janeiro 2010 subiu no after market para 14,29%. O dólar junho08 no eletrônico às 17 horas avançava a R$ 1,672 (0,54%), após encerrar o viva-voz, a R$ 1,663. No balcão, o dólar à vista caiu 0,48%, a R$ 1,657. A Bovespa subiu 0,12%, para o recorde de 70.503,2 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.