Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Dólar e risco Brasil chegam ao patamar mais baixo desde janeiro

O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,8690 na ponta de venda dos negócios, em baixa de 0,55% em relação às últimas operações de ontem. Trata-se do patamar mais baixo desde 26 de janeiro de 2004. A moeda norte-americana iniciou o dia em R$ 2,8780 e oscilou entre a máxima de R$ 2,8840 e a mínima de R$ 2,8660. Com o resultado de hoje, o dólar registra baixa de 2,05% em setembro.O risco Brasil ? taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro em relação à capacidade de pagamento da dívida do País ? chegou a 463 pontos base nesta sexta-feira. Esta taxa é o prêmio que os investidores pedem acima dos juros norte-americanos para negociar os títulos brasileiros.Ou seja, para ficar com o risco dos papéis da dívida do Brasil, os investidores querem um prêmio de 4,63 pontos porcentuais acima das taxas pagas pelos títulos dos Estados Unidos. Este é o patamar mais baixo desde 28 de janeiro, quando o risco Brasil chegou a 423 pontos base, segundo fontes do mercado.

Agencia Estado,

17 de setembro de 2004 | 16h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.