Dólar em alta com EUA, petróleo e tensão política

O mercado de câmbio abriu pressionado nesta manhã, afetado por uma combinação de fatores externos e internos. Logo após a abertura, subia 0,54% sobre o fechamento de ontem, cotado a R$ 2,971; a alta era ainda maior às 10h40, de 0,88%, com a moeda a R$ 2,984. O principal foco de preocupação do mercado continua sendo externo. Como era esperado, o comunicado do Federal Reserve de anteontem, mesmo relativamente equilibrado, não eliminou a volatilidade e o juro do treasury americano de 10 anos subia hoje para 4,6067%, pressionando os títulos da dívida do BRasil para baixo e o risco para cima. O petróleo também continua em alta e aproxima-se dos US$ 40 por barril. A alta do petróleo, além de aumentar o risco de um aumento de combustíveis no Brasil, traz preocupações adicionais sobre pressões inflacionárias ou de desaceleração econômica nos EUA e demais países ricos.Mas a novidade é que fatores domésticos hoje também entram na conta da apreensão dos investidores. O mercado reage mal às duas derrotas políticas do governo ontem no Congresso, na MP dos bingos e na instalação da comissão do salário mínimo. Veja a cotação do dólar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.