Dólar encerra o mês com alta de 0,51%; Bolsa sobe 1,22%

O dólar comercial encerrou o último dia do mês de julho cotado a R$ 2,1760, em leve alta de 0,09%. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a máxima de R$ 2,1810 e a mínima de R$ 2,1740. Mais uma vez o Banco Central (BC) atuou no mercado de câmbio. Um leilão de compra de dólares foi realizado durante a tarde. Para enxugar a oferta de dólares, o BC comprou moeda pela cotação de R$ 2,1750. Com o resultado de hoje, o dólar encerra o mês com alta de 0,51%. No ano, a moeda norte-americana continua em queda frente ao real, de 6,41%.A Bolsa de Valores São Paulo (Bovespa) operou influenciada pelo mercado norte-americano e fechou em baixa de 0,81%, com 37.077 pontos - patamar mínimo desta segunda-feira. Com esse resultado, a bolsa paulista encerrou o mês acumulando valorização de 1,22%. Em 2006, a Bolsa registra alta de 10,82%. No acumulado em 12 meses, o Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa - subiu 42,37%. O movimento financeiro nesta segunda-feira foi bastante reduzido e ficou em apenas R$ 1,471 bilhão.Os mercados de ações caíram hoje em Nova York numa reação à alta do petróleo e ao conflito entre Israel e o Hezbollah. O índice Dow Jones - que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 0,31%. A Nasdaq - bolsa que negocia ações do setor de tecnologia e Internet - caiu em 0,13% nesta segunda-feira.Nesta segunda-feira, o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, afirmou que não haverá cessar-fogo com a milícia xiita libanesa Hezbollah nos próximos dias. Olmert se desculpou pela morte de 60 civis em Qana no domingo e, mesmo depois do acordo de trégua por 48 horas, anunciou que o exército continuará a luta por ar, terra e mar e disse ainda que precisa de 10 a 14 dias para acabar com o Hezbollah. Assim, a força aérea voltou a atacar nesta segunda-feira o sul do Líbano. "Não há cessar-fogo e não haverá cessar-fogo", disse.Na Bolsa de Nova York, os contratos futuros de petróleo com vencimento para setembro fecharam a US$ 74,40 por barril, em alta de US$ 1,16; a mínima foi em US$ 72,77 e a máxima em US$ 74,48. Em Londres, os contratos do petróleo Brent para setembro fecharam a US$ 75,15 por barril, em alta de US$ 1,76, com mínima em US$ 72,70 e máxima em US$ 75,22.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.