Dólar está no patamar máximo do dia, em R$ 3,1200

Às 10h33, o dólar comercial está no patamar máximo do dia, vendido a R$ 3,1200, em alta de 0,97% em relação aos últimos negócios de sexta-feira. A moeda norte-americana iniciou o dia no patamar de R$ 3,0800 e chegou até a mínima de R$ 3,0780. O principal foco de atenção para o mercado cambial nesta segunda-feira é o movimento dos investidores para a ptax ? uma média dos negócios do dia, a qual é usada na liquidação do vencimento dos contratos de dólar no mercado futuro. O comportamento do preço do petróleo também atrai a atenção dos investidores. Devido a mais um ataque terrorista a uma petrolífera na Arábia Saudita, o preço da commodity ? produto com definição comum de preços, independentemente de onde é produzido e de sua qualidade ? registrou elevação de 2% no mercado japonês.Hoje é feriado nos EUA e em Londres e as principais bolsas de negociação de contratos de petróleo, a Nymex americana e a IPE inglesa, não funcionam, mas o comportamento de amanhã já deixa o mercado tenso hoje nas demais praças do mundo. Mas vale ressaltar que essa tensão é comedida, até o momento. Há ainda a expectativa em torno da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) na quinta-feira. O grande anúncio esperado era justamente a elevação da produção, encabeçada pela Arábia Saudita. Os ataques terroristas ao país não devem alterar essa decisão mas, sem dúvida, criam tensões em torno do encontro e das medidas que nele serão tomadas.ExpectativaA pesquisa semanal realizada pelo Banco Central junto ao mercado, divulgada hoje, mostra que houve ajuste para cima em todas as estimativas para a taxa de câmbio. A cotação da moeda norte americana ao final deste ano passou de R$ 3,08 para R$ 3,10. Para o fim de 2005, o dólar passou de R$ 3,21 para R$ 3,25. A taxa média deste ano foi elevada de R$ 2,98 para R$ 3,00. O dólar para o final de junho subiu de subiu de R$ 3,04 para R$ 3,05.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.