Dólar fecha a R$ 2,826, menor cotação desde 16 de janeiro

O dólar comercial fechou em baixa de 0,46%, a R$ 2,826 - menor cotação desde 16 de janeiro deste ano (R$ 2,8120). O risco Brasil ao redor dos 440 pontos base (queda superior a 5% ante sexta-feira) e o C-Bond acima de 100% do valor de face deram combustível aos rumores de que o País pode lançar uma nova emissão soberana ou fazer um swap de títulos da dívida nesta primeira quinzena do mês. Isso porque no próximo dia 15 o governo brasileiro deverá fazer o pagamento de cupom e parte do principal da dívida em C-Bond, entre outros títulos bradies.O mercado de ações deu continuidade ao otimismo de sexta-feira e o Ibovespa retomou o nível dos 24 mil pontos, que não era atingido desde o começo do ano. A avaliação positiva do atual momento econômico, o bom comportamento das bolsas americanas, a queda do risco Brasil e o recuo nos preços do petróleo levaram o índice teórico a encerrar o dia em alta de 1,57%, a 24.150 pontos e volume de R$ 1,25 bilhão. A colaboração de Wall Street também pesou favoravelmente para os negócios na bolsa paulista. O Dow Jones fechou em alta de 0,23% e o Nasdaq, de 0,53%, refletindo a confiança em relação à retomada do crescimento econômico dos EUA neste trimestre e à boa perspectiva para a temporada de balanço, que começa nos próximos dias. O petróleo também teve sua parcela de responsabilidade na alta da Bovespa. A commodity encerrou abaixo do patamar de US$ 50 por barril em Nova York, em US$ 49,91, com queda de 0,42%. Em Londres, o barril do tipo Brent para novembro recuou 0,92%, para US$ 46,19. O mercado realizou parte dos lucros recentes, com a notícia do fechamento de acordo entre o governo e os rebeldes na Nigéria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.