Dólar fecha em alta com aversão a risco no exterior

O dólar subiu nesta sexta-feira, acompanhando a aversão a risco no mercado externo e a queda das bolsas durante a tarde.

SILVIO CASCIONE, REUTERS

28 de janeiro de 2011 | 16h56

A moeda norte-americana teve alta de 0,36 por cento, a 1,685 real. Enquanto o mercado brasileiro fechava, o Ibovespa caía 2,5 por cento, o dólar subia 0,7 por cento em relação a uma cesta com as principais divisas e o euro caía mais de 1 por cento, abaixo de 1,36 dólar.

"A gente teve estrangeiro vendendo bolsa e comprando dólar", disse Arnaldo Puccinelli, gerente da área de derivativos do Banif Investment Bank.

A cautela no mercado internacional era atribuída aos protestos no Egito e a resultados piores do que o esperado de empresas como Ford e Amazon nos Estados Unidos.

A variação do dólar no Brasil, ainda assim, foi pequena em comparação com outras moedas no exterior. O peso mexicano, por exemplo, perdia mais de 1,5 por cento. Analistas têm apontado que a crescente intervenção do governo, em contraponto com o expressivo fluxo de capitais ao país, reduziu a volatilidade do câmbio nas últimas semanas.

A atuação do governo nesta sessão se resumiu a dois leilões de compra de dólares no mercado à vista. O BC, no entanto, já anunciou que fará na segunda-feira os três primeiros leilões de compra de dólares no mercado a termo.

O leilão a termo funciona exatamente como o leilão no mercado à vista, com a diferença no prazo de liquidação. A operação prevê entrega física da moeda.

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.