finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dólar fecha em alta de 0,59%, cotado a R$ 2,6190

O dólar comercial fechou em alta de 0,59% em relação aos últimos negócios de ontem, cotado a R$ 2,6190. Desta vez, as atuações do BC prevaleceram em relação à queda externa do dólar e o recuo do risco Brasil. Essas intervenções enxugaram a entrada de dólares. Não fossem as atuações do Banco Central hoje, o dólar poderia ter recuado, avaliaram os operadores consultados. É que além da queda externa do dólar ante o euro e outras moedas, as notícias domésticas reforçaram o sentimento favorável do mercado sobre o País. Entre as boas novas, o IBGE anunciou que a produção industrial cresceu 8,3% em 2004 ante 2003, o melhor resultado dos últimos 18 anos. Embora o crescimento da produção industrial em dezembro, de 0,60% ante novembro, tenha ficado perto do piso das expectativas (+0,5% A +3%), o resultado do mês confirma que a indústria vem sustentando o ritmo da produção.O Ciesp também anunciou que o nível de emprego na indústria paulista cresceu 5,01% em 2004, quando foram criadas 93.626 vagas. Em dezembro, no entanto, houve queda de 0,44% nos empregos da indústria paulista, o que significou corte de 8.494 vagas.Se por um lado esses dados tendem atrair mais investimentos para o País, tendo em vista a consistente melhora da percepção do risco Brasil, de outro aumentam a preocupação com a inflação. Já é dado como certo pelos analistas do mercado mais um aumento de 0,50 ponto da taxa Selic, a taxa básica de juros da economia, na reunião do Copom na semana que vem. A Selic está atualmente em 18,25% ao ano. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com alta de 0,39%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.