Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Dólar fecha em alta de 0,70%, cotado a R$ 1,882

Em setembro, porém, a moeda ainda acumula desvalorização de mais de 4%

Reuters,

20 de setembro de 2007 | 17h23

Após dois dias de queda, o dólar fechou em alta. No encerramento dos negócios, a moeda norte-americana era vendida a R$ 1,8820, em alta de 0,70%. Este foi o patamar máximo desta quinta-feira, 20. Em setembro, porém, a moeda ainda acumula desvalorização de mais de 4%.  A moeda operou em baixa ao longo de toda a manhã, repetindo o desempenho dos últimos dias após a decisão do banco central dos Estados Unidos (Federal Reserve) em cortar o juro. A taxa caiu 0,50 ponto porcentual, de 5,25% para 4,75% ao ano, o que surpreendeu a maioria dos analistas que esperavam um corte de 0,25 ponto porcentual. Mas a gradativa diminuição da euforia, que colocava as bolsas norte-americanas em leve queda, também tirava fôlego do mercado de câmbio, que tinha um pregão com volume apenas razoável.  No período da tarde, o mercado assistiu a uma repentina virada. De acordo com operadores, um grande banco de investimento estrangeiro realizou uma expressiva compra de dólares no mercado futuro - cerca de 20 mil contratos, o que equivale a US$ 1 bilhão.  "Entrou na hora do almoço e o mercado não tinha tanta liquidez, não tinha tanto lote (de dólares) na venda", disse o operador de uma corretora nacional, explicando que o repentino aumento da demanda, sem contrapartida na oferta, fez com que o dólar saltasse 2 centavos de uma hora para outra.  A compra agressiva reforçou a cautela dos investidores, e ajudou a deixar a cotação do dólar estacionada ao redor de 1,88 real durante a tarde, segundo o operador. A operação, além disso, contrariou a tendência dos últimos dias, que assistiam ao aumento das vendas futuras por parte dos estrangeiros: com a diminuição da turbulência, eles passaram a apostar com menos força numa disparada do dólar.  Rodrigo Nassar, gerente da mesa financeira da Hencorp Commcor Corretora, acrescentou que houve uma piora nos mercados acionários, o que ajudou a sustentar a alta do dólar durante a tarde. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que operou em leve alta durante a manhã, caía cerca de 1% à tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
Mercado financeiroAversão ao risco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.