Dólar fecha em alta e Bolsa recua em dia de instabilidade

O mercado financeiro continuou hoje reagindo de forma negativa à possibilidade de que os juros norte-americanos continuem subindo. Com taxas mais altas lá, o investidor tende a reavaliar seus ativos em países emergentes, já que consegue ganhos mais atrativos e com risco menor no mercado norte-americano. O investidor passa a exigir juros maiores para ficar em ativos de emergentes. Além disso, aumenta a saída de recursos deste mercado. O resultado prático, para os mercados brasileiros, é a depreciação do real frente ao dólar e a queda das ações.Hoje, os mercados foram prejudicados também pela onda de violência na cidade de São Paulo, o maior centro financeiro do País. Comentou-se nas mesas de operação dos bancos que há instituições que dispensaram mais cedo seus funcionários, reduzindo os horários de operação. Algumas empresas também dispensaram seus funcionários antes do horário normal.O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,1860, em alta de 1,96% em relação aos últimos negócios de ontem. As cotações oscilaram entre a máxima de R$ 2,2150 e a mínima de R$ 2,1640. Com o resultado de hoje, o dólar registra alta de 4,74% em maio. Por volta das 16h30, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em queda de 2,28%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.