Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Dólar fecha em baixa com fluxo positivo e vendas futuras

Moeda americana recua 0,83%, para R$ 1,909; Bolsa subia durante a tarde, operando perto dos 54 mil pontos

SILVIO CASCIONE, REUTERS

12 de setembro de 2007 | 16h50

O dólar manteve a trajetória descendente nesta quarta-feira, 12, influenciado pela contínua entrada de moeda no País e pelo aumento das apostas pela queda do dólar no mercado futuro, e recuou 0,83%, para R$ 1,909.   O dia tranqüilo nas bolsas de valores norte-americanas, que após uma abertura tímida passaram a operar em leve alta, abriu caminho mais uma vez para que os investidores trouxessem dólares para investir no Brasil.   Durante a tarde, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) subia 0,11%, perto dos 54 mil pontos, e o Risco País recuava 3 pontos-básicos.   "Eu acho que ele (investidor estrangeiro) já não está mais tão preocupado", disse Renato Schoemberger, operador da Alpes Corretora.   Carlos Alberto Postigo, operador de câmbio da corretora Action, atribui a recente desvalorização do dólar à atuação de muitos investidores no mercado futuro. Segundo o operador, a expectativa de redução do juro norte-americano na próxima semana e a diminuição da turbulência no exterior aumentaram a aposta pela queda do dólar no Brasil.   Com isso, muitos investidores que tinham posição comprada em dólar - esperando uma alta da moeda em meio à turbulência iniciada em julho - estão atuando na ponta inversa e realizando venda futura de dólares, o que puxa para baixo a cotação da divisa no mercado à vista.   Esse movimento, segundo explica Postigo, tem ocorrido principalmente no início da manhã e no fim da tarde, quando as empresas de comércio exterior normalmente não atuam no mercado de câmbio. Durante o dia, os dólares trazidos por exportadores reforçam a tendência de valorização do real.   De acordo com dados da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), os investidores não-residentes no país reduziram as posições compradas no mercado futuro de dólar de US$ 5,62 bilhões em 3 de setembro para US$ 3,68 bilhões na última terça-feira.   Segundo Schoemberger, "eles (estrangeiros) têm que se desfazer dessa posição de dólar para fazer (posição em) bolsa", apostando na valorização das ações brasileiras.   Além disso, "quem comprou (dólar) lá em cima acabou perdendo dinheiro. Quem comprou a R$ 2,00 esperando proteger alguma coisa já está perdendo 100 basis points (R$ 0,10 centavos por dólar)... acumulando perdas que pelo cenário (menos turbulento) não são mais necessárias."   Com o cenário atual, a moeda norte-americana pode voltar a cair abaixo de R$ 1,90 nos próximos dias, avalia Postigo. Mas, alertou Schoemberger, o mercado continua atento. "O foco ainda é subprime (crédito imobiliário de alto risco nos Estados Unidos)", comentou o operador.

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.