Dólar fecha em baixa com rolagem da dívida externa

O dólar comercial à vista operou em baixa o dia todo, influenciado pela alta dos títulos da dívida externa e as rolagens de linha externa, de contratos de swap (troca) cambial e de dólar futuro na BM&F. O superávit primário de US$ 6,93 bilhões do governo central em janeiro, equivalente a 5,74% do PIB e o maior desde 1997, também favoreceu a baixa da moeda norte-americana. O dólar encerrou cotado a R$ 3,582, em queda de 0,64%.Na bolsa, o bom resultado das contas do governo central em janeiro e a queda do dólar foram insuficientes para manter a Ibovespa em alta nesta quarta-feira. Os investidores olharam para Wall Street, onde o temor da guerra não deixou os negócios deslancharem. O Ibovespa fechou em queda de 1,93%, abaixo dos 10 mil pontos. O índice Dow Jones da bolsa de Nova York 1,3% e a Nasdaq recuou 1,9%.No mercado monetário, os juros futuros acompanharam o movimento do dólar nesta quarta-feira e fecharam o dia em queda. Esse recuo se verificou em todos os vencimentos, desde os mais curtos até os mais longos - que hoje tiveram a liquidez reforçada. Além da queda do dólar, ajudaram a garantir um alívio das taxas o resultado da inflação medida pela Fipe, que veio dentro do esperado, e o bom desempenho do leilão das Letras do Tesouro Nacional (LTNs) ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.