Dólar fecha em baixa por fluxo, mas na semana sobe 1,74%

O dólar fechou em queda frente ao real nesta sexta-feira, por conta de entradas de recursos no mercado local num dia positivo para as principais bolsas de valores.

JOSÉ DE CASTRO, REUTERS

11 de dezembro de 2009 | 16h54

A baixa só não foi maior por conta da valorização da moeda norte-americana no cenário externo, depois da divulgação de vários dados favoráveis sobre a economia dos Estados Unidos.

O dólar caiu 0,45 por cento, a 1,758 real na venda, após recuar 1,08 por cento na mínima do dia e chegar a operar estável.

Na semana, no entanto, o dólar acumula alta de 1,74 por cento.

"Hoje você teve duas pontas no movimento do dólar: o fluxo positivo e o avanço do dólar no exterior, principalmente contra o euro", disse Gerson de Nobrega, gerente da tesouraria do Banco Alfa de Investimento. "Por isso, o dólar chegou a zerar as perdas aqui" em parte da sessão.

Às 16h35, a moeda norte-americana apreciava-se 0,7 por cento ante uma cesta com seis importantes divisas, avançando cerca de 0,8 por cento em relação ao euro.

Essa alta tinha base em dados mostrando que as vendas no varejo norte-americano cresceram em novembro acima do esperado, enquanto a confiança do consumidor melhorou no início de dezembro. Essas notícias amparavam a alta das bolsas de valores de São Paulo e Nova York, com uma diminuição da aversão a risco.

"Os últimos números sobre os Estados Unidos têm mostrado que a economia do país está começando a se recuperar, o que pode influenciar numa elevação do juro por lá antes que o previsto", considerou Nobrega, explicando que essa percepção está por trás da alta da divisa dos EUA nos últimos dias frente a moedas de outras grandes economias.

Diante desse contexto, os investidores estrangeiros aumentaram sua aposta no mercado futuro voltada para a alta do dólar. Na véspera, os agentes sustentavam 8,940 bilhões de dólares em posições compradas nos mercados futuro de dólar e cupom cambial (DDI), ante 6,145 bilhões de dólares no dia 7.

CURTO PRAZO

Profissionais do mercado de câmbio têm avaliado que, apesar do repique desta semana, o dólar ainda mantém tendência de baixa frente ao real, especialmente por conta de expectativas de ingressos de recursos.

"Considerando esses eventos (altas) como pontuais, ainda vemos um viés de baixa bem definido, com o dólar girando em torno da faixa de 1,70 real e 1,80 real", afirmou Felipe Pellegrini, gerente de operações da Corretora Confidence.

Ele acrescentou que o mercado está menos ansioso sobre possíveis medidas cambiais adicionais, depois de declarações recentes do governo.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, reiterou na véspera que o governo está satisfeito com as medidas implementadas até o momento, como a adoção de IOF sobre entrada de capital estrangeiro para ações e renda fixa. Mantega disse ainda que não espera sobrevalorização do real, já que o dólar tende a se recuperar globalmente nos próximos meses.

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.