Dólar fecha em leve alta após subir mais de 4% pela manhã

O dólar fechou em leve alta nesta sexta-feira, devolvendo a forte alta de 4 por cento exibida durante a manhã com uma entrada de recursos. A moeda norte-americana subiu 0,13 por cento, a 2,363 reais. Na semana, o dólar acumulou leve baixa de 0,13 por cento. Logo nos primeiros negócios da sessão, o dólar chegou a saltar 4,24 por cento. Mas parte da alta foi devolvida ainda de manhã, com o dólar desacelerando pelo fluxo de entrada de recursos no país. "Teve mais entrada, um fluxo mais positivo", afirmou Luis Piason, gerente de operações de câmbio da corretora Concórdia. Segundo Piason, com a diminuição das remessas de empresas para o exterior, o dólar tem conseguido se manter abaixo de 2,50 reais. "Houve uma alta muito exagerada na parte da manhã, que não é real, com um pouco de especulação, com um pouco de correção de ontem", disse. Na véspera, as bolsas de valores norte-americanas pioraram fortemente após o fechamento do mercado cambial doméstico. Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da Treviso Corretora de Câmbio, teve avaliação semelhante e apontou o movimento dos mercados futuros influenciando o à vista. "Enquanto tivermos essas posições compradas na BM&F, teremos esta volatilidade." De acordo com os últimos dados atualizados pela BM&F, os investidores estrangeiros detinham mais de 11 bilhões de dólares em posições compradas, que funcionam como uma aposta contra o real. Galhardo lembrou também que a valorização da moeda norte-americana no mercado internacional ajudou a manter o dólar em alta durante a sessão. Frente a uma cesta com as principais moedas globais, o dólar subia mais de 2 por cento. Nos últimos dias, o dólar perdeu espaço globalmente assim que o Federal Reserve anunciou um corte da taxa de juro norte-americana para perto de zero. E, segundo analistas, investidores realizaram lucros nesta sessão. O Banco Central ofertou 22 mil contratos de swap cambial tradicional para prosseguir com a rolagem de um lote que vence no ínicio de janeiro, mas vende apenas 6 mil contratos. A autoridade central também realizou um leilão de venda de dólares no mercado à vista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.