Dólar fecha em leve alta de 0,95%, cotado a R$ 2,32

BC voltou a mostrar agressividade na atuação no mercado de câmbio nesta 6ª; moeda chegou a subir mais de 3%

Redação,

24 de outubro de 2008 | 17h10

Depois de subir mais de 3% na manhã desta sexta-feira, em sessão volátil, o dólar fechou em leve alta de 0,95%, cotado a R$ 2,327. O Banco Central (BC) voltou a mostrar agressividade na atuação no mercado de câmbio nesta sexta, repetindo o ritmo iniciado na quinta-feira. A autoridade monetária realizou quatro leilões no mercado cambial - dois de swap  e dois de venda à vista - e pode ter vendido um total de cerca de US$ 2,717 bilhões, mas desta vez conseguiu limitar apenas parcialmente o avanço do dólar.   Veja também: Consultor responde a dúvidas sobre crise   Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise    No começo da sessão, a moeda foi pressionada pelo pessimismo no mercado internacional e subiu até 3,90%, a R$ 2,395. Contudo, após as atuações do BC, o pronto cedeu até a mínima de R$ 2,295 (-0,43%). A valorização intraday (durante os negócios) ampliou os ganhos da moeda no balcão para 10,02% na semana; para 22,34% no mês; e para 31,10% no ano.   No mercado de dólar futuro, os cinco vencimentos negociados projetaram altas, com um volume financeiro de US$ 17,74 bilhões. O dólar novembro apontou alta de 2,15%, a R$ 2,318, com giro de US$ 15,60 bilhões.   Logo após a estilingada do dólar na abertura, o BC - que já havia anunciado na quinta a realização nesta sexta às 12h45 de um leilão de até 30 mil contratos de swap com três vencimento ou US$ 1,5 bilhão -, divulgou que faria uma oferta adicional antecipada de até 40 mil swap ou US$ 2 bilhões e ainda um leilão de venda quase que simultâneo, em que teria negociado cerca de US$ 100 milhões, estimou um operador.   Nesta primeira oferta adicional de swap, houve venda parcial de US$ 34.810 contratos com dois vencimentos ou US$ 1,706 bilhão. No leilão pré-agendado na quinta, o BC também não vendeu o lote integral, mas apenas metade ou 15.500 contratos com três vencimentos, equivalentes a cerca de US$ 751,8 milhões. Com essas três ações, o dólar à vista devolveu os ganhos iniciais e chegou a recuar até 0,43%, para R$ 2,295 na mínima do balcão.   Contudo, o aprofundamento das baixas nas bolsas à tarde em meio a balanços fracos do terceiro trimestre, o tombo do petróleo apesar do corte de produção anunciado pela OPEP e a disparada do dólar em relação ao euro no mercado de moedas, reconduziram o dólar à vista ao terreno positivo.    Na quinta-feira, o dólar chegou a subir mais de 6% durante os primeiros negócios da manhã e fez com que o BC interviesse de forma mais agressiva. Dessa vez, a autoridade monetária anunciou um programa de venda de contratos de swap cambial no valor de até US$ 50 bilhões - bem maior que os anunciados anteriormente.   (com Silvana Rocha, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:
Dólarcrise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.