Dólar fecha na menor cotação em um ano; Bolsa bate recorde

Apetite por risco animou investidores na compra de moedas emergentes; cenário interno fortalece Bovespa

Taís Fuoco e Claudia Violante, da Agência Estado,

15 de setembro de 2009 | 18h01

Os investidores decidiram virar a página da crise buscando ativos que lhes ajudem a recuperar suas perdas recentes.Com apetite por risco, risco, o dólar se desvalorizou e fechou na menor cotação em um ano. No mercado à vista, o dólar balcão fechou a sessão em queda de 0,39%, a R$ 1,806. A Bovespa fechou em alta, cotada acima dos 59 mil pontos pela primeira vez no ano.

Entre os dados que contribuíram para dar tranquilidade aos investidores na recuperação da maior economia do mundo, o Departamento do Comércio informou hoje que as vendas no varejo nos EUA subiram 2,7% em agosto em comparação com julho e superaram as expectativas dos analistas, que eram de alta de 2%. Excluindo automóveis, as vendas no varejo cresceram 1,1%, também acima das estimativas de aumento 0,4%.

O chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, contribuiu com a crença de que a crise é passado, mas não deixou de pedir "pé no chão" aos aplicadores. O executivo afirmou, durante uma sessão de perguntas e respostas na Brookings Institution, que, embora a "recessão muito provavelmente tenha acabado" do ponto de vista técnico, a fraqueza da economia deve continuar. "Ainda vai parecer uma economia bastante fraca, com muitas pessoas achando que a estabilidade de seus empregos e as condições de trabalho não correspondem ao que elas gostariam", acrescentou.

Bolsa em alta

A Bovespa continuou a trajetória de alta predominante em setembro, renovando novamente a máxima pontuação do ano e, desta vez, pela primeira vez nos 59 mil pontos. O resultado final da sessão, entretanto, ainda não ultrapassou o de 31 de julho do ano passado, de 59.505 pontos, mas foi o maior desde então.

O principal índice à vista terminou a terça-feira com ganhos de 0,67%, aos 59.263,86 pontos. Na mínima do dia, registrou 58.691 pontos (-0,30%) e, na máxima, os 59.401 pontos (+0,91%). O giro financeiro somou R$ 4,906 bilhões. No mês, acumula ganhos de 4,91%.

Já o resultado de 2009 até hoje está positivo em 57,83%, superior a todos os fechamentos anuais dos últimos cinco anos. Ou seja, antes mesmo de 2009 apagar a luz, a Bovespa já superou os ganhos dos anos anteriores até 2004. E como a trajetória segue positiva para os ativos, pode chegar bem perto de 2003, quando subiu 97,3%.

Os dados de vendas no varejo divulgados hoje foram mais um no sentido de reforçar as melhores condições da economia doméstica. Segundo o IBGE, as vendas do comércio varejista subiram 0,5% em julho ante junho e 5,9% em relação ao mesmo mês do ano passado. Embora abaixo das medianas das previsões, as vendas no varejo consolidaram uma trajetória positiva da economia, já revelada pelos números do PIB do segundo trimestre (+1,9% na margem).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.