Dólar fecha no menor nível desde setembro, a R$2,129

O dólar registrou ligeira queda nesta quarta-feira, 24, influenciado pela entrada de moeda no mercado, e atingiu a menor cotação desde o início de setembro. A divisa norte-americana encerrou os negócios a 2,129 reais, com baixa de 0,23%.A atuação do Banco Central, que realizou novamente leilão de compra da moeda estrangeira, segurou a queda da cotação. O BC aceitou três propostas, e definiu corte a R$ 2,1285.A presença do BC no mercado tem contrabalançado o fluxo de entrada. "(Não deve cair muito) porque existem as intervenções do Banco Central, que têm sido contínuas", disse Carlos Alberto Postigo, operador da Action Corretora de Câmbio.André Kitahara, operador do Rabobank, tem avaliação semelhante. "(O mercado) está muito de olho no volume de compra do BC (...) de olho no quanto colocou de swap."O BC vem realizando leilões de compra de dólar todos os dias desde o fim de setembro do ano passado. A autoridade monetária justifica a atuação como parte de seu programa de recomposição de reservas internacionais, que na terça-feira estavam em US$ 89,48 bilhões.A política do BC, porém, é vista por alguns como uma tentativa de evitar uma forte queda na cotação do dólar, que reduziria a competitividade dos produtos brasileiros no mercado externo. O BC tenta manter o dólar "de modo que não venha a atrapalhar o exportador, principalmente o pequeno exportador", explicou Postigo.Além disso, muitos bancos estão com posição vendida no mercado futuro. "Os bancos têm estado com posição vendida, mais ou menos em torno de 1,3 bilhão, 1,4 bilhão de dólares", disse Postigo. "Se virem (o dólar) chegando a 2,120 reais, vão iniciar um processo de redução dessas posições."CopomA principal expectativa entre os investidores é quanto à decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa de juro, que sairá após o fechamento dos negócios. O mercado está dividido entre um corte de 0,50 ponto percentual ou de 0,25 ponto percentual. A Selic está atualmente em 13,25%.O mercado vinha apostando em uma desaceleração no ritmo de afrouxamento monetário. O anúncio do Programa de Aceleração do Crescimento e o esforço do governo para dinamizar a economia, porém, levaram alguns analistas a prever mais uma redução de 0,50 ponto.A decisão, porém, terá pouca repercussão na quinta-feira, por causa do feriado na cidade de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.