Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Dólar fecha no patamar mais baixo desde 3 de junho de 2002

O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,5630 na ponta de venda das operações, em baixa de 0,70% em relação aos últimos negócios de ontem. Trata-se do patamar mais baixo desde 3 de junho de 2002. A alta da Selic, a taxa básica de juros da economia, decidida ontem pelo Comitê de Política Monetária (Copom), foi um motivo a mais nesta quinta-feira para a depreciação do dólar frente ao real. Os investidores estrangeiros, atraídos por uma oportunidade melhor de rentabilidade de recursos, trouxeram mais dólares para o mercado interno, favorecendo a queda da moeda norte-americana.Às 17h24, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta de 2,74%, em 27106,5 pontos, no patamar mais alto desta quinta-feira. A Bovespa não pára de receber dinheiro estrangeiro e é isso que vem puxando o mercado de ações para cima. Depois do volume financeiro recorde do dia anterior, R$ 5,149 bilhões, impulsionado pelas operações de ajuste de índice (operação de mercado futuro), a projeção para o fechamento desta quinta é de R$ 1,8 bilhão.

Agencia Estado,

17 de fevereiro de 2005 | 17h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.