Dólar foi a melhor aplicação em março

Em março, o dólar ficou no topo do ranking dos investimentos, acumulando um ganho bruto (antes do desconto de impostos) de 5,69%. Os fundos cambiais, que oferecem como rentabilidade uma taxa de juros além da variação cambial, ficaram em segundo lugar no ranking. Na média, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Executivos de Mercado de Capitais (Ibmec), a rentabilidade bruta dos fundos cambiais foi de 5,50%, levando-se em conta o rendimento do dia 29 de março e projetando-se o ganho até o dia 30. Os contratos lastreados em ouro e negociados na BM&F seguem na terceira colocação do ranking de investimentos em março, com rentabilidade nominal de 2,55% no período. Essas três aplicações apresentaram rendimento acima do Certificado de Depósito Bancário (CDI), que projeta rentabilidade bruta de 1,19% para o período.O Certificado de Depósito Bancário (CDB) de 30 dias para médias quantias ficou com rendimento nominal abaixo do CDI, em 1,06%. Já os fundos de renda fixa apresentaram ganho nominal de 1,00%, segundo projeção de dados do Ibmec para o mês de março. A poupança rendeu 0,67%, sendo que é a única aplicação dentre as pesquisadas que não sofre tributação.Ações registraram forte baixaNo mês de março, o investimento em ações foi a pior aplicação. O Ibovespa - que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acumulou uma queda de 9,14%. Nesse resultado, pesou o cenário internacional, com destaque para a baixa acumulada pela Nasdaq - bolsa dos Estados Unidos que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - de 14,48% no mês de março. Em períodos de forte queda na bolsa norte-americana, os investidores estrangeiros tendem a se desfazer de seus ativos em economias de países emergentes, como a brasileira, para cobrir suas posições. Além disso, pela alta concentração de papéis do setor de telecomunicações na composição do Ibovespa, a Nasdaq tem forte influência sobre a Bovespa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.