Dólar fraco e incentivos baixam preço de computador

Com várias facilidades, 24% dos lares brasileiros, incluindo os da classe C e D, já têm o produto

Vera Dantas, O Estadao de S.Paulo

24 de novembro de 2007 | 00h00

Os computadores já estão presentes em 24% dos lares brasileiros. "É quase um quarto dos domicílios e o potencial de crescimento é enorme porque os preços têm caído nos últimos dois anos", diz o diretor de estudos de mercado do IT Data, Ivair Rodrigues. A Medida Provisória que cortou o PIS e Cofins da maior parte dos computadores, a MP do Bem, gerando uma redução de 9,25% em impostos no fim de 2005, a queda dos juros e o câmbio favorável vêm derrubando os preços dos PCs nos últimos dois anos. O parque doméstico instalado hoje é de 27 milhões de computadores. "Antes o mercado era das faixas A e B. Hoje a classe C com a queda dos preços e o crediário tem cada vez mais facilidade de acesso", diz Rodrigues. Varejo e indústria na disputa pelo consumidor acertam parcerias e apostam em diferenciais. O Wal-Mart, por exemplo, fez um acordo exclusivo com a Dell, para a venda de seus produtos. O Grupo Pão de Açúcar acabou de fechar um contrato com a Apple para vender produtos em quiosques da cobiçada marca em 16 lojas da rede Extra. Mas no caso não há exclusividade no acordo. O concorrente Wal-Mart já está oferecendo também para o Natal produtos da Apple. Embora o primeiro computador comprado geralmente seja o de mesa, Ivair Rodrigues chama a atenção para o crescimento acelerado do mercado de portáteis. "Em 2010 já devemos vender mais notebooks do que computadores de mesa", prevê. A diferença do preço de um desktop para um notebook que era de 188% no primeiro trimestre de 2006 caiu para 68% no segundo trimestre de 2007. A venda de notebooks deve chegar a 2,1 milhões, um aumento 211% em relação a 2006. A HP, por exemplo, terá para o Natal oito modelos de notebook.O presidente da Positivo Informática, Hélio Rotenberg, observa que a classe C pode considerar o notebook objeto de desejo, mas no seu bolso cabe melhor um computador de mesa básico. A empresa lança com foco nesse público um micro para a família na faixa de R$ 900. Ele vem acompanhado de um aplicativo com atrativos como dicas para elaborar o orçamento doméstico e de cuidados com as crianças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.