Dólar fraco sustenta commodities

O dólar se desvalorizou ontem frente a uma cesta de outras moedas e ajudou a sustentar os preços das commodities, inclusive as agrícolas. A relação entre dólar e matérias-primas costuma ser inversa: quando o dólar cai, tende a impulsionar os preços das commodities, principalmente porque elas ficam mais baratas para o comprador que usa outras moedas. A queda do dólar também sinaliza maior apetite por ativos de risco - como ações e commodities. Na Bolsa de Nova York, a influência do dólar foi importante para o mercado de açúcar, por exemplo. O contrato do produto para entrega em julho fechou em alta de 4,02%, a 23,53 centavos de dólar por libra-peso. Nos fundamentos do mercado, a notícia positiva veio da Índia, segundo maior produtor mundial e maior consumidor de açúcar. O governo local estimulou a demanda ao autorizar a importação sem impostos até o fim de junho, retirando tarifa de 60%. O café também subiu por causa do dólar, em alta de 1,77%. O suco de laranja avançou 1,34%.

Filipe Domingues, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2011 | 00h00

A fraqueza da moeda americana sustentou os preços da soja e do trigo, cujos contratos são negociados em Chicago. A oleaginosa subiu 1,13% e o cereal ficou quase estável. Já o milho sentiu a pressão de especuladores que venderam para embolsar lucros, registrando perdas de 2,18%. A expectativa de melhora do clima para o plantio nos Estados Unidos também pesou nas decisões dos investidores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.