Dólar: governo vai monitorar repasse aos preços

O secretário-executivo da Camex, Roberto Giannetti da Fonseca, afirmou que o governo vai monitorar qualquer tentativa de repasse da alta do dólar aos preços ao consumidor. Giannetti admitiu que os importadores de trigo já cogitaram a possibilidade de repassar o aumento de custos com a importação do produto ao preço do pão. Mas, segundo o secretário, em conversa com dirigentes do setor ficou acertado que o repasse não acontecerá agora, mas somente se a taxa de câmbio permanecer alta por mais algum tempo. "Ainda não tomei conhecimento do repasse aos preços em nenhum setor, mas estamos atentos", alertou o secretário. ImportaçãoO secretário executivo da Camex acredita que a alta do dólar vai beneficiar a produção nacional porque, ao dificultar as importações, ajuda a substitutir o produto importado. Giannetti da Fonseca afirmou que uma eventual proposta da Argentina para redução da Tarifa Externa Comum (TEC) para importação de bens de capital não será boa para o Brasil. Na avaliação do secretário, se essa tarifa, hoje em 14%, viesse a cair, acabaria com uma grande vantagem competitiva do País, que é vender bens de capital para a Argentina com tarifa de importação zero.Giannetti informou que o Brasil exporta ao País vizinho o equivalente a US$ 1,7 bilhão ao ano. O governo brasileiro teme perder mercado argentino para produtores de bens de capital de outros países. Giannetti admitiu que o cenário argentino "é nebuloso" e que a crise argentina certamente terá impacto sobre a economia brasileira.

Agencia Estado,

22 de março de 2001 | 12h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.