Dólar inicia o dia em queda de 0,20%, cotado a R$ 2,9950

O dólar comercial iniciou o dia cotado a R$ 2,9950, em queda de 0,20% em relação aos últimos negócios de sexta-feira. A semana começa com debates em torno do aumento da contribuição patronal à Previdência, anunciado na sexta-feira. A reação negativa à medida foi tão imediata e forte que, durante o final de semana e na manhã de hoje, o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, empenhou-se em prometer que a elevação da carga tributária será "mais do que compensada". Segundo o ministro, no conjunto a produção não será onerada e a estrutura tributária nacional será compatível com a geração de empregos. A alta dos impostos foi criticada até mesmo por aliados fiéis, como é o caso do presidente da Câmara, João Paulo Cunha. Nos jornais de hoje, o líder petista diz que a atitude do governo é um erro político e que a Câmara não ficará confortável votando isso (veja mais informações sobre o assunto nos links abaixo).Que o mercado também não vai gostar da novidade é certo, resta saber se ela terá peso para acabar com toda a euforia que se formou na semana passada e que levou o dólar a romper momentaneamente o piso informal de R$ 3, que se sustentava desde o início de maio.Nesta semana, o Comitê de Política Monetária (Copom) reúne-se para reavaliar a Selic, a taxa básica de juros da economia, atualmente em 16% ao ano. Analistas ouvidos na pesquisa semanal do Banco Central (BC) não esperam nenhuma ousadia por parte do BC. Ou seja, as apostas apontam para a manutenção da Selic no patamar atual, em 16% ao ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.