Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Dólar mais pressionado amplia alta

Após uma abertura mais moderada, o dólar ganhou ímpeto a partir do meio da manhã. Por volta das 11h30, a moeda americana era cotada a R$ 3,685 na venda, em alta de 1,52%, máxima do dia até agora. A alta mais forte do dólar destoa dos demais mercados, como a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que opera perto da estabilidade, os juros futuros, que recuam ligeiramente, e o C-Bond (título da dívida externa brasileira mais negociado no exterior), que chegou a subir hoje cedo.Operadores ainda não chegaram a um consenso em relação às causas deste repique isolado do dólar. Admite-se que a alta da inflação deixou o mercado mais conservador como um todo, mas, pelo menos na manhã de hoje, este fator não está afetando os negócios de forma significativa, nem mesmo nos juros, que serão definidos semana que vem pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Um fator de alta seria o vencimento de US$ 2,4 bi em dívida cambial do governo prevista para a próxima semana. Outro fator seria a especulação. Segundo um profissional, o dólar à vista abriu em alta moderada, mas teriam sido compras nos futuros que puxaram as cotações. Veja aqui a cotação do dólar dos últimos negócios.

Agencia Estado,

14 de novembro de 2002 | 12h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.