Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

Dólar desacelera alta e fecha dia perto da estabilidade; Bolsa recua

Após euforia no mercado financeiro com o avanço do candidato Jair Bolsonaro (PSL), pregão foi marcado por cautela nesta quinta-feira

O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2018 | 09h46
Atualizado 04 Outubro 2018 | 17h40

O dia dos negócios nesta quinta-feira, 4, foi marcado pela cautela. A divulgação da pesquisa Ibope/Estado/TV Globo indicou que deve haver realmente segundo turno na eleição presidencial, disputado pelos candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Com isso, a Bolsa freou a alta que apresentou nos dois pregões anteriores, em que somou valorização de 6,04%, e fechou em baixa de 0,38%, aos 82.952,81 pontos. 

Já o dólar iniciou o dia com ganhos, atingindo a máxima de R$ 3,93. Ao longo do pregão, diminuiu a valorização frente ao real e fechou o dia perto da estabilidade, em alta de 0,08%, cotado a R$ 3,8831,

A melhora dos ativos brasileiros ocorreu apenas durante a tarde, diante da expectativa de que os números do Datafolha sejam favoráveis a Bolsonaro. Os números consolidados da pesquisa, que ainda está em andamento e não foi finalizada, serão conhecidos na noite desta quinta-feira, 4.

Outra notícia positiva para a candidatura do capitão foi o apoio anunciado pelo candidato do MDB ao governo de São Paulo, Paulo Skaf. Ele afirmou que "não seria ruim que ele fosse presidente" e se a eleição terminasse já no primeiro turno. "Eu não ficarei neutro em hipótese nenhuma, não há hipótese de eu apoiar o candidato do PT e meu apoio será a Jair Bolsonaro", afirmou Skaf.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.