finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dólar paralelo sobe mais que comercial

Nos últimos dias, o ágio entre o dólar comercial oficial do Banco Central (BC) e o dólar paralelo papel São Paulo praticamente dobrou. Até o dia 16 de maio, a diferença entre as cotações de fechamento dos dois mercados estava abaixo de 4%. Esta diferença cresceu a partir do dia 17. Em 1º de junho, chegou a 8,25% - com o dólar comercial oficial do BC cotado a R$ 2,3833 e o papel em São Paulo em R$ 2,5800. Ontem, o ágio está na casa de 7,43%, com o dólar comercial cotado a R$ 2,3895 e o paralelo a R$ 2,5670. De acordo analistas do mercado essa diferença foi ampliada pela forte alta das cotações do dólar paralelo na segunda quinzena de maio. Nesse período, enquanto o dólar comercial registrou valorização de 0,92% em relação ao real, o dólar paralelo registrou ganho de 4,93%."Esse resultado reflete uma demanda maior por dólares no mercado paralelo, onde atuam os pequenos investidores. Eles ampliaram a compra de moeda norte-americana, acompanhando o movimento dos grandes investidores que já vêm adotando essa postura de maneira gradual há mais tempo", analisou um operador.Diferente desse cenário, os números da primeira quinzena de maio demonstraram um ágio entre o dólar comercial e o dólar paralelo abaixo de 4%. Nesse período, as oscilações nos dois mercados ficaram muito próximas. O dólar comercial registrou alta de 7,03%, enquanto o dólar paralelo subiu 7,37% no mesmo período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.