Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Dólar pode ter novo ciclo de queda frente ao euro

O comportamento do dólar e do euro agora em 2006 é um dos temas que mais vêm dominando a atenção dos analistas estrangeiros no final deste ano. Após três anos consecutivos de queda, 2005 foi positivo para a moeda americana, que acumulou uma valorização de cerca de 13% diante da européia, sendo cotada hoje em torno de US$ 1,20. Mas a aposta majoritária dos investidores é de que, no próximo ano, o dólar iniciará um novo ciclo de queda, podendo voltar a ser cotado em torno de US$ 1,30 ou mais diante do euro.O economista-chefe da consultoria Economist Intelligence Unit, Robin Bew, acredita que o dólar deverá se fortalecer ligeiramente no primeiro trimestre de 2006, mas em seguida entrará numa trajetória de declínio. Segundo ele, o Federal Reserve vai continuar promovendo um aperto monetário nos Estados Unidos no curto prazo, talvez até um pouco maior do que os mercados esperam. Já o Banco Central Europeu não deve alterar os juros na zona do euro ou, no máximo, promover uma alta de apenas 25 pontos-base mais para o final do próximo ano. "Por isso, o diferencial da taxa de juros entre a Europae os Estados Unidos provavelmente vai se alargar, pelo menos no curto prazo e isso sugere que o Euro vai cair um pouco mais, ficando na faixa entre US$ 1,18 e US$ 1,20", disse Bew. "Mas isso será claramente uma situação muito passageira e o Fed terá que suspender o aperto monetário, o que acreditamos que acontecerá no segundo trimestre." Segundo ele, quando isso ocorrer, a situação será revertida, com o dólar entrando numa trajetória de declínio e o euro se fortalecendo.Com o final do ciclo de alta dos juros nos Estados Unidos, Bew acredita que as atenções dos mercados vão voltar a focar nos problemas da economia norte-americana, como seus déficits em conta corrente e fiscal, além do alto endividamento dos consumidores. Isso debilitará o dólar. "Não esperamos ver um movimento abrupto no câmbio, embora esse risco não possa ser descartado", afirmou. "No final de 2006 a cotação deverá estar em torno de US$ 1,30 por euro e a moeda norte-americana poderá se enfraquecer um pouco mais em 2007, atingindo US$ 1,35."O economista José Ramón Díez, do departamento de estudos do banco Cajá Madrid, também prevê que o dólar retornará ao patamar de US$ 1,30 diante do euro em 2006. Segundo ele, o fim do ciclo aperto monetário nos Estados Unidos será um dos principais fatores para o enfraquecimento da moeda norte-americana. "Isso, aliado às perspectivas de crescimento mais moderado nos Estados Unidos, poderá fazer com que alguns investidores, que haviam apostado decididamente pelo dólar, comecem a optar por equilibrar mais suas carteiras com outras moedas", disse Diez. Ele acredita que os problemas estruturais da economia norte-americana voltarão a ocupar o topo da lista de preocupações dos mercados internacionais ao longo deste novo ano de 2006.

Agencia Estado,

01 de janeiro de 2006 | 15h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.