finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dólar reage a Wall Street e fecha em alta de 0,23%

A tensão nos mercados internacionaisvoltou a influenciar o dólar nesta quinta-feira, que fechou emalta mesmo com a contínua entrada de recursos no país e adisparada da Petrobras na Bolsa de Valores de São Paulo. A moeda norte-americana avançou 0,23 por cento, para 1,745real. Em novembro, o dólar acumula alta de 0,40 por cento. A subida do dólar nesta sessão foi definida na última meiahora de negócios, depois de um leilão de compra de dólares doBanco Central. Durante a operação, as bolsas de valores em NovaYork acentuaram a queda, com baixa de mais de 3 por cento doíndice Nasdaq e de mais de 1 por cento dos índices Dow Jones eS&P 500 . A queda das ações norte-americanas ficou mais forte porcausa de comentários do presidente da Cisco, líder do setor detecnologia. O executivo afirmou que a recente crise de crédito,originada em problemas nas hipotecas de alto risco (subprime),pode estar desencorajando os gastos empresariais. Na véspera, o dólar já havia fechado em alta --de 0,29 porcento-- em meio a uma forte queda das bolsas norte-americanas. "Parece que o buraco é mais embaixo em relação ao subprime.O mercado está com medo que possam vir coisas ainda piores, eisso pode dar uma segurada (no dólar) até por uma questão dehedge (proteção)", disse Renato Schoemberger, operador da AlpesCorretora. A piora no mercado externo ofuscou a contínua entrada demoeda e a disparada nas ações da Petrobras . A empresa,principal componente do índice Ibovespa, subia mais de 10 porcento e chegou a puxar o índice para uma alta de quase 3 porcento durante o dia. A alta da Petrobras foi provocada pela descoberta de umareserva gigante de petróleo e gás. Por causa do fluxo cambial positivo, Schoemberger acreditaque a tendência do dólar continua sendo de baixa. "O mercadotem dólar na mão... (O dólar) teria uma queda mais acentuadacaso lá fora estivesse com um humor um pouco melhor. A gentepoderia estar trabalhando abaixo de 1,73 (real)", acrescentou. No leilão de compra, o BC definiu taxa de corte a 1,7410real e aceitou, segundo operadores, ao menos três propostas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.