bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Dólar recua com anúncio de leilão

Depois de abrir em forte alta, cotado a R$ 2,8070 na ponta de venda dos negócios, o dólar comercial recuou e chegou ao patamar de R$ 2,7600 - cotação mínima desse dia. O movimento foi resultado do anúncio feito pelo Banco Central (BC) de que realizará um leilão de swap (troca) cambial. Segundo informou a editora Cristina Canas, operadores não confirmaram a atuação do BC no mercado à vista de dólar. Às 10h55, o dólar comercial estava cotado a R$ 2,7860 na ponta de venda dos negócios, em alta de 0,58%. Segundo informou o banco JP Morgan, a taxa de risco-país, que mede a confiança dos investidores na capacidade de pagamento da dívida do país, chegou ao patamar máximo de 1.702 pontos às 7h50. Essa taxa é calculada pela diferença entre os juros pagos pelo governo norte-americano e as taxas do governo brasileiro. Quando a taxa de risco-país chegou a 1.702 pontos significa que os papéis brasileiros pagavam juros com 17,02 ponto porcentual acima da taxa dos Estados Unidos. Às 10h10, o risco-país havia recuado para 1.629 pontos. Já os C-Bonds, principais títulos da dívida brasileira, eram vendidos a 59,000 centavos por dólar, frente a 59,250 centavos por dólar negociados ontem. No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com queda de 0,46%, às 11h04. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) pagam taxas de 24,500% ao ano, frente a 24,200% ao ano ontem.Veja mais informações sobre o comportamento dos mercados nos links abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.