Dólar recua com rolagem integral de dívida

A rolagem integral da parcela de cerca de US$ 2 bilhões em dívida cambial que vence amanhã animou o mercado de câmbio ontem e foi o principal fator da queda das cotações. Os especialistas dizem que esse sucesso da rolagem é resultado da tranqüilidade com que ocorrem os primeiros passos da transição política e, por isso, acreditam que o fôlego para recuos não foi esgotado. Porém, hoje, o movimento dos negócios depende principalmente do comportamento que os investidores assumirem perante o vencimento dos contratos futuros de dólar de novembro. A ptax (taxa média diária de câmbio) de hoje será utilizada para a liquidação dos contratos e isso pode gerar movimentos atípicos e descolados das expectativas. No entanto, os analistas ressaltam que o ambiente é de calma nas mesas de operações e esperam um vencimento sem "grandes jogadas". A expectativa é de que o dólar seja negociado em queda, dando seqüência à trajetória de queda de ontem.Já na abertura dos negócios, às 9h39, o dólar comercial estava sendo vendido a R$ 3,6790, em queda de 0,97% em relação ao fechamento de ontem. Veja aqui a cotação do dólar dos últimos negócios. Já no mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagavam taxas de 23,200%, frente a 23,290% ao ano negociados ontem. Os operadores das mesas de câmbio ressaltam ainda que o ambiente externo está positivo para Brasil, neste início de manhã, com os papéis da dívida externa mostrando valorização. Para definir os movimentos durante o dia, o assunto principal de interesse dos investidores continuará sendo a transição política. Além disso, o BC divulga as contas públicas. Também está previsto um leilão de linha externa no valor de US$ 200 milhões. A taxa de câmbio para venda será a do boletim do Banco Central das 10h. A data de recompra deste leilão será em 2 de janeiro de 2003, com 58 dias corridos a partir da liquidação da venda, em 5 de novembro próximo. A operação visa a rolagem de parte dos vencimentos dos dias 4, 5 e 6 próximos que somam US$ 490 milhões. Ontem, o BC já rolou US$ 200 milhões, também em leilão de linha externa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.