Dólar recua mas mantém alta a R$ 2,26

As notícias de que a Argentina estaria próxima de uma reestruturação de sua dívida externa e ainda contaria com créditos adicionais dos Estados Unidos, conforme declarações do próprio presidente norte-americano, George W. Bush, fizeram as cotações do dólar oscilarem muito no Brasil. A moeda chegou a ser negociada na máxima de R$ 2,28 no final da manhã. Porém, as cotações recuaram um pouco e estavam em R$ 2,26 às 16h25, com alta de 1,12% em relação ao fechamento de sexta-feira.A notícia, se concretizada, é um alívio para os mercados, pois aumenta as chances de recuperação da economia argentina. De qualquer maneira, a situação ainda é muito instável e os investidores estão hesitantes. Aparentemente, o pacote está em fase negociação e incluiria contrapartidas - ainda desconhecidas - do governo da Argentina para garantir a retomada econômica.Além disso, as declarações do Senador José Roberto Arruda, atribuindo ao Senador Antônio Carlos Magalhães a responsabilidade da violação do painel de votação na sessão de cassação do ex-Senador Luis Estêvão, aumenta as preocupações do mercado com o desenrolar da crise no Senado. O temor de que a instabilidade saia do controle, afetando os membros mais poderosos da base aliada do governo reforça o pessimismo no mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.