Dólar renova as máximas, cotado a 2,200 na BM&F

O dólar pronto (à vista) atingiu sua cotação máxima por volta das 15 horas desta quarta-feira, influenciado pelo cenário externo, em alta de 0,73%. A moeda norte-americana era cotada a R$ 2,200 na roda da Bolsa de Mercadorias e Futuro (BM&F).Após atingir a máxima, a moeda norte-americana voltou a desacelerar - porém ainda em alta.Na Bolsa de Valores de São Paulo, o Ibovespa (índice que mede as ações mais negociadas na Bovespa) acompanhava o desempenho fraco das Bolsas em Wall Street. Por volta das 15 horas, o índice recuava 0,76%, em 36.276 pontos. O risco Brasil atingia sua máxima, a 246 pontos, com alta de 0,82%.Lá fora, o dólar é sustentado pela reavaliação de expectativas sobre eventual aumento do juro pelo Banco Central do Japão na reunião desta quinta e sexta-feira. O déficit comercial norte-americano de maio - menor do que o esperado - também influencia na cotação da moeda. Por volta das 15 horas, o dólar subia 1,13% a 115,59 ienes; e o euro caía 0,55% a US$ 1,2696.Petróleo O barril do petróleo tipo Brent, referencial na Europa, era cotado acima da barreira dos US$ 74,16 no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, às 12h58 de Brasília.Segundo analistas, a alta atual do petróleo deve-se ao temor dos mercados frente a uma redução da produção por conta das tensões internacionais geradas pelas atividades nucleares do Irã.Este texto foi atualizado às 16h26.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.