Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dólar segue exterior e fecha em queda

Após oscilar, moeda seguiu o recuo registrado ante outras dividas no exterior e terminou com baixa de 0,62%, a R$ 2,57

Clarissa Mangueira, O Estado de S. Paulo

27 de janeiro de 2015 | 18h13

O dólar fechou em queda ante o real nesta terça-feira, em linha com o recuo registrado ante outras divisas no exterior, depois que o dado das encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos mostrou números decepcionantes. No fim da sessão no mercado de balcão, o dólar a vista recuou 0,62%, a R$ 2,5710. 

O dólar iniciou a sessão com viés de alta, mas oscilou entre o terreno negativo e o positivo, acompanhando o desempenho volátil no exterior em relação a outras divisas de países emergentes e ligadas a commodities. Operadores do mercado de câmbio doméstico disseram que, na primeira parte da sessão, a moeda sofreu pressão de baixa nos momentos de tomada de taxa pelo Banco Central para formação da ptax diária. A taxa desta terça-feira fechou a R$ 2,5809, com queda de 0,60% em relação ao encerramento de ontem (R$ 2,5966). 


No início da tarde, a moeda se firmou em terreno negativo, acompanhando a desaceleração registrada em relação a outras moedas no exterior depois da divulgação do relatório das encomendas dos bens duráveis dos EUA. O Departamento do Comércio norte-americano informou que as encomendas de bens duráveis nos EUA caíram 3,4% em dezembro na comparação com novembro, contrariando projeções de que subiriam 0,3%. Excluindo o setor de transportes, as encomendas de bens duráveis diminuíram 0,8%.

As atenções dos agentes do mercado se concentram agora na primeira reunião ministerial no segundo mandato da presidente Dilma Roussef. A presidente Dilma Rousseff esteve reunida nesta manhã com ministros da equipe econômica no Palácio do Alvorada para discutir os ajustes finais na fala do ministro da Fazenda, Joaquim Levy. O foco do discurso dele será o ajuste fiscal e o corte nas despesas. Também passou pela portaria do Alvorada o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante. 

Tudo o que sabemos sobre:
dólarcâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.