Dólar sobe 0,77%

O cenário externo influenciou fortemente os mercados hoje. O aumento insuficiente da produção de petróleo determinado anteontem na reunião da Organização dos Países Produtores de Petróleo vem pressionando os preços da mercadoria. Cresce, com isso, a apreensão em relação ao comportamento do governo norte-americano em relação aos juros na reunião do FED (banco central dos EUA), marcada para terça e quarta-feira da semana que vem. Se o preço do petróleo não recuar, é possível que os juros norte-americanos subam ainda mais.Neste quadro, a Bolsa de Valores de São Paulo registrou queda de 1,6%, acompanhando o fraco desempenho da Nasdaq - bolsa de ações de empresas de informática e alta tecnologia de Nova Iorque -, que caiu 2,32%. O índice Dow Jones - que engloba as ações mais negociadas da bolsa de Nova Iorque - subiu 0,27%.Os juros prefixados de contratos de swap, com base de 252 dias úteis, o melhor indicador para taxas de juros de longo prazo, subiram de 18,47% ao ano na quarta-feira, para 18,92% ao ano, também em função da instabilidade externa.Por fim, houve uma saída de dólares, que pressionou a cotação da divisa estrangeira para R$1,81, uma alta de 0,77%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.