Dólar sobe 1,3% com dados do BC e disputa por Ptax

O dólar fechou em alta de mais de 1,3por cento nesta segunda-feira, refletindo o fluxo de saída damoeda após a divulgação de dados do Banco Central e o início dadisputa pela Ptax. A moeda norte-americana subiu 1,32 por cento, a 1,689 real.Apesar da recuperação desta sessão, o dólar ainda acumula baixade 3.65 por cento em abril. Segundo Rodrigo Nassar, gerente da mesa de câmbio daHencorp Commcor Corretora, o mercado cambial está repercutindoos números divulgados pelo Banco Central sobre as transaçõescorrentes do país. "O dólar está surpreendendo hoje, ignorando o bom humor láde fora. É o fluxo de saída apoiado pelos números da contacorrente", afirmou Nassar. As bolsas norte-americanas, assim como principal índiceacionário da bolsa paulista, operavam em território positivo. Dados divulgados pelo BC nesta segunda-feira mostraram queo país registrou em março um déficit em transações correntes de4,43 bilhões de dólares, frente ao superávit de 235 milhões dedólares no mesmo mês em 2007. Foi a maior saída liquida mensalpara meses de março desde 1947. Para os analistas Luis Cezario e Paulo Leme do GoldmanSachs, os dados da conta corrente mostram que a principalbússola para o real será a conta de capitais, que deverá cairvertiginosamente frente aos recordes registrados em 2007. "Isto significa que apesar de continuarmos vendo um realaltista no curto prazo, nós acreditamos que o prolongado ciclode apreciação do real está perto de seu fim", afirmaram osanalistas em relatório. Vanderlei Arruda, gerente de câmbio da corretora SouzaBarros, apontou que o início da disputa pela Ptax, na virada domês, também influenciou na alta do dólar nesta segunda-feira. A última Ptax do mês é utilizada para a liquidação doscontratos de dólar futuros na Bolsa de Mercadorias e Futuros(BM&F). "O mercado já está se posicionando para Ptax. Existe umapressão para elevar a cotação", disse Arruda, lembrando quemuitos bancos possuem posições compradas, revelando uma apostana alta da divisa estrangeira. Arruda destacou, porém, que a alta da sessão destasegunda-feira não configura uma inversão de tendência da moeda,mas sim um movimento pontual, principalmente com a"possibilidade de mais cortes (nos juros) externos e deaumentos internos". Na quarta-feira, o Comitê Federal de Mercado Aberto doFederal Reserve irá se reunir para decidir os rumos do juro dosEstados Unidos. O banco central norte-americano já cortou ataxa básica do país em 3 pontos percentuais desde meados desetembro, para 2,25 por cento ao ano. Na última hora de negócios, o BC realizou um leilão decompra de dólares no mercado à vista, definindo a taxa de cortea 1,6810 real.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.