Dólar sobe a R$ 1,72 e atinge maior valor em mais de um mês

A expectativa de que o Federal Reserve (Fed), o banco central norte-americano, adote medidas de afrouxamento quantitativo menos agressivas- compra de centenas de bilhões de dólares e não de trilhões como vinha sendo cogitado- fortaleceu o dólar em relação a outras moedas, incluindo o real. O anúncio da decisão do Fed é esperado para depois da reunião de política monetária na próxima quarta-feira, dia 3. A dúvida sobre o tamanho dos estímulos do Fed, deflagrada por uma notícia do The Wall Street Journal, levou a divisa norte-americana a subir no mundo e, aqui, a fechar cotada a R$ 1,720, maior valor desde 22 de setembro. O dólar apreciado inibiu a demanda por matérias-primas como petróleo e metais e por ações.

Silvana Rocha, O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2010 | 00h00

As bolsas na Europa e em Nova York operaram enfraquecidas, influenciando a Bovespa. Mesmo tendo recuado 0,24%, a Bolsa brasileira conseguiu defender bem o nível dos 70 mil pontos, em mais um dia de recuperação para os papéis da Petrobrás. As ações da estatal dispararam no meio da tarde, em alta de quase 5%, com o boato de que a Petrobrás anunciaria a descoberta de um megapoço após o 2º turno das eleições presidenciais. Mas depois desaceleraram e terminaram a quarta-feira com valorização de pouco mais de 1%, As ações da Vale e os papéis dos bancos pesaram no Ibovespa, em meio à realização de lucro. No caso da Vale, havia ainda a expectativa com o balanço divulgado após o fechamento.

Nos juros, o dia foi de ajustes após a pesquisa Datafolha não ter confirmado as especulações do mercado de avanço do candidato tucano José Serra. O contrato para janeiro de 2013 subiu de 11,81% para 11,84%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.