Dólar sobe com crise política e temor de terrorismo

O mercado de câmbio segue computando o conturbado cenário político interno e os temores em relação ao terrorismo internacional. A crise política nacional tem como últimas cenas as declarações do ministro José Dirceu contra governadores do PSDB e o Ministério Público e, em seguida, o pedido de desculpas do ministro aos tucanos. No mercado, o sentimento que fica desses fatos é de que o governo continua tendo que apagar um incêndio atrás do outro. E os investidores estão começando a abandonar a perspectiva de que essa fase de tensão é passageira. A avaliação que começa a consolidar-se é que a seqüência de pequenas crises políticas vai perdurar, já que este é um ano eleitoral. Conforme essa avaliação for ganhando adeptos no mercado, será colocada em preços pressionando a cotação do dólar. O dólar abriu em alta de 0,34%, cotado a R$ 2,925. Às 10h47, após pouco mais de uma hora de negócios, a alta era de 0,45%, com a moeda a R$ 2,928. Veja a cotação do dólar.

Agencia Estado,

24 Março 2004 | 10h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.