Dólar sobe com embate entre Brasil e Canadá

O mercado de câmbio apresentou fôlego de alta esta manhã apesar das várias entradas de recursos que estão sendo esperadas para esta semana. Alguns analistas tentaram explicar o comportamento utilizando o desenrolar do embate comercial entre o Brasil e o Canadá. As restrições à importação de carne, que já se estenderam pelo México e EUA, estão sendo avaliadas como sendo parte de uma estratégia maior. Ou seja, o mercado teme que, juntos, os países do Nafta estejam usando o tema da carne para pressionar o Brasil, indiretamente, a aceitar a aceleração do processo de implantação da Alca. "O peso das exportações de carne na balança comercial não é muito grande, mas se isso se estender a outros setores e significar uma política que está sendo adotada para pressionar o Brasil, pode interferir", disse um especialista de mercado. Os temores em relação ao futuro do comércio externo brasileiro se somaram aos já conhecidos números ruins da balança comercial e intensificaram a disposição que os investidores já demonstravam de manter posições compradas em dólar. No final da manhã, o dólar comercial estava valendo R$ 1,9960, com alta de 0,40%. No mercado futuro, a cotação da moeda norte-americana ultrapassou R$ 2, valendo R$ 2,004 para março (+0,33%) e R$ 2,014 para abril (estável).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.