finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dólar sobe com piora nas bolsas, mas fluxo limita avanço

A forte queda das bolsas de valoresfez o dólar fechar em alta, mas o contínuo ingresso de divisasajudou a limitar o avanço da moeda norte-americana, nestasexta-feira. A divisa subiu 0,16 por cento e encerrou cotada a 1,858real. Apesar desta sessão, o dólar acumulou baixa de 0,27 porcento na semana. Na véspera, a moeda norte-americana haviafechado no menor patamar desde outubro de 2000, a 1,855 real. O mercado acionário nos Estados Unidos operou em fortequeda durante todo o dia. Ao contrário da quinta-feira, quandoo lucro maior que o previsto da IBM ajudou a puxar o índice DowJones para um nível recorde de alta, os resultados de empresascomo Google e Caterpillar decepcionaram os investidores nestasessão. Além disso, a preocupação com o setor de créditoimobiliário de risco ganhou destaque novamente após comentáriosde um membro do Federal Reserve. Durante a tarde, os principaisíndices norte-americanos caíam cerca de 1 por cento. "(Foi por causa do) mercado lá fora. Mas não dá nem paraconsiderar uma alta (do dólar), o câmbio está se comportandomuito bem aqui. Dado o cenário externo, que foi muito ruim...esperaria que estivesse muito mais alto", disse Gustavo Cunha,operador de derivativos do Rabobank. Para o operador, o fluxo cambial positivo, os fundamentoseconômicos do país e o volume reduzido de negócios nesta sessãoajudaram a evitar que o dólar acompanhasse de perto a variaçãonas bolsas. Na última hora de negócios, o Banco Central realizou umleilão de compra de dólares no mercado à vista. Na operação, aautoridade monetária definiu corte a 1,8595 real e aceitou,segundo operadores, ao menos sete propostas.

SILVIO CASCIONE, REUTERS

20 de julho de 2007 | 16h28

Tudo o que sabemos sobre:
NEGOCIOSDOLARFECHA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.