coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Dólar sobe e Bolsa chega a cair mais de 4%

O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,2900 na ponta de venda das operações, em alta de 1,28% em relação aos últimos negócios de sexta-feira. A depreciação do dólar acompanha a queda do risco País - taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro na capacidade de pagamento da dívida do Brasil - que está em 268 pontos, alta de 1,90%. Quanto maior esta taxa, maior é avaliação dos investidores sobre os riscos dos títulos da dívida do País. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em queda de 4,28% às 16h58.O cenário externo continua provocando forte oscilações no mercado hoje. A maior expectativa continua voltada para a trajetória dos juros e da inflação nos EUA. Os fatos mais aguardados são as divulgações dos índices americanos de inflação ao produtor (PPI), amanhã, e ao consumidor (CPI), na quarta.Pronunciamentos de dirigentes do Banco Central dos Estados Unidos (Fed) também podem influenciar os mercados. O presidente da instituição, Ben Bernanke, terá três aparições públicas entre hoje (às 20h30) e Quinta-feira.Diante do risco de estes eventos provocarem maior volatilidade, os mercados operam hoje com viés negativo. Em Nova York, o Dow Jones - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - opera com queda de 0,87%. A Nasdaq - bolsa que negocia ações do setor de tecnologia e Internet - recua 1,90%.Cenário preocupanteO comportamento da inflação nos Estados Unidos é extremamente importante para os investidores. Isso porque a definição dos juros no país depende do controle da inflação. Quando os preços estão pressionados, a tendência é que os juros subam para conter e consumo e, com isso, a inflação.O problema é que a alta dos juros nos Estados Unidos influencia a economia de todos os países. Os norte-americanos representam um grande mercado consumidor. Com juro alto, o consumo cai e as exportações dos países ficam prejudicadas. Além disso, Juro alto diminui o lucro das empresas, provocando a queda das bolsas.

Agencia Estado,

12 de junho de 2006 | 16h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.