Dólar supera R$ 3,60 e deve subir mais

O dólar subiu forte ontem e os operadores não vêem motivos para que o mercado de câmbio tenha comportamento diferenciado na abertura de hoje. As tensões com a possível vitória de Lula no primeiro turno continuam e as incertezas internacionais - com as ameaças de guerra e a fraqueza de economias desenvolvidas - também seguem afetando negativamente os mercados mundiais. Na abertura dos negócios, às 9h29, o dólar comercial estava sendo vendido a R$ 3,610, em alta de 0,98% em relação ao fechamento de ontem. Já no mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagavam taxas de 21,150% ao ano, frente a 21,870% ao ano negociados ontem. As surpresas poderiam vir do noticiário já que a agenda do dia é repleta de assuntos de interesse dos investidores. Nos EUA, há a reunião do Fed (Banco Central norte-americano) que definirá linhas de política monetária. O mercado local espera que a taxa de juros seja mantida. Mas o resultado oficial só será conhecido às 15h15 de Brasília. Às 10 horas, sai o índice de confiança do consumidor norte-americano, um importante termômetro da maior economia mundial. No Brasil, há a divulgação pelo BC das contas públicas. Também haverá novas entrevistas com candidatos à presidência e, há noite, o Ibope divulga mais uma pesquisa sobre a corrida presidencial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.