Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Dólar tem leve queda ante real de olho em Europa

O dólar fechou em leve queda ante o real nesta quarta-feira, numa sessão marcada pela volatilidade diante das expectativas com o resultado da cúpula entre líderes europeus.

JOSÉ DE CASTRO, REUTERS

26 de outubro de 2011 | 18h11

A moeda norte-americana caiu 0,10 por cento, para 1,7605 real na venda. Ao longo do dia, a taxa de câmbio oscilou entre queda de 0,95 por cento --1,7455 real-- e alta de 0,57 por cento, valendo 1,7723 real.

O euro operava praticamente estável ante o dólar, após mostrar bastante volatilidade durante o dia. A moeda norte-americana tinha leve valorização de 0,11 por cento contra uma cesta de divisas.

"Ficamos tão voláteis quanto lá fora. Hoje foi um vaivém no dólar, nas bolsas...", afirmou o operador de câmbio da Interbolsa do Brasil, Ovídio Soares.

Mais uma vez, o foco dos investidores se concentrou no noticiário internacional, com os agentes à espera de conclusões por parte de líderes europeus sobre como fortalecer o fundo de resgate da região e recapitalizar o sistema bancário.

Pouco antes do fechamento do mercado de câmbio local, o esboço do comunicado que será divulgado após o encontro, obtido pela Reuters, mostrou que as autoridades da zona do euro querem alavancar o fundo de resgate da região (EFSF, na sigla em inglês) de 440 bilhões de euros, em "várias vezes", podendo alcançar até 1 trilhão de euros, segundo fontes.

Os ministros de Finanças, contudo, acertarão os detalhes de como isso ocorrerá apenas em novembro.

Para o diretor-executivo e economista da NGO Corretora de Câmbio, Sidnei Moura Nehme, o dólar pode nos próximos dias recuar para a casa de 1,70 real e "flutuar entre este piso e 1,75 real", diante do atual fluxo de recursos ao país.

De acordo com dados do Banco Central divulgados na véspera, o fluxo cambial nas três primeiras semanas de outubro foi positivo em 3,867 bilhões de dólares.

O profissional chamou atenção ainda para o posicionamento de investidores estrangeiros nos mercados futuros de dólar e de cupom cambial, que para ele vem mostrando algum equilíbrio.

Segundo dados da BM&FBovespa referentes à véspera, os investidores estrangeiros mantinham posições líquidas vendidas em dólar --ou seja, que ganha com a queda da moeda norte-americana-- de 1,61 bilhão de dólares.

"Com esses posicionamentos não devem ocorrer disputas acentuadas no mercado de derivativos neste final de mês", escreveu em nota.

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.