Dólar tem maior queda em 13 meses e fecha abaixo de R$1,90

A moeda norte-americana caiu 1,71% e encerrou a R$ 1,8950, um dia após avançar mais de 3% pela preocupação global com o mercado de crédito de risco nos Estados Unidos

SILVIO CASCIONE, REUTERS

27 de julho de 2007 | 16h54

O dólar teve nesta sexta-feira a maior queda diária desde junho de 2006, influenciado pela oferta de divisas de exportadores e pela redução da saída de investidores estrangeiros.   PIB dos EUA tem a maior alta desde o início de 2006 Bolsas européias têm nova queda atentas a crédito nos EUA "Turbulência só está começando"  Celso Ming comenta a queda da Bovespa A moeda norte-americana caiu 1,71% e encerrou a R$ 1,8950, um dia após avançar mais de 3% pela preocupação global com o mercado de crédito de risco nos Estados Unidos.A semana foi de forte volatilidade e começou com o dólar no menor patamar desde setembro de 2000.Apesar de o sobe-e-desce ter se mantido nos mercados internacionais, operadores notaram uma redução na saída de investidores estrangeiros.   Fluxo impulsiona queda De acordo com o gerente de câmbio de um banco nacional, que preferiu não ser identificado, diminuiu o volume de divisas compradas pelos estrangeiros para zerar posições em outros mercados brasileiros. Com isso, a oferta de dólares de exportadores e outros agentes derrubou a cotação da moeda norte-americana.Tarcísio Rodrigues, diretor de câmbio do Banco Paulista, disse que alguns estrangeiros até voltaram a investir no país, aproveitando os preços mais baixos das ações."O fluxo ainda continua interessante, e isso fez com que... o dólar acabasse caindo abaixo de 1,90 (real)", disse.Para ele, a saída dos estrangeiros na véspera não esteve ligada a uma maior percepção de risco sobre o Brasil. "Se você verificar, (muitos eram) investidores que... têm participação forte em investimento imobiliário nos EUA. O que me faz crer que realmente não foi uma saída pelo risco do país, mas sim de perdas que ocorreram lá e tiveram que pagar o prejuízo", acrescentou Rodrigues.   Leilão No final da sessão, o Banco Central realizou um leilão de compra de dólares no mercado à vista. Na operação, a autoridade monetária definiu corte a R$ 1,9040 e aceitou, segundo operadores, ao menos quatro propostas.

Tudo o que sabemos sobre:
Aversão ao riscoDólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.