Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

Dólar fecha abaixo de R$ 4 e Bolsa sobe 1,25%, mas não recupera perdas da semana

Ibovespa acompanhou os mercados internacionais, que subiram após os fortes recuos da véspera, mas mesmo assim fechou a semana com baixa de quase 2%

O Estado de S.Paulo

12 Fevereiro 2016 | 10h58
Atualizado 12 Fevereiro 2016 | 18h51

SÃO PAULO - O dólar à vista alternou pequenas altas e baixas durante todo o dia e acabou fechando em leve alta de 0,16%, cotado a R$ 3,9953. Na semana, a valorização foi de 2%. Já a Bovespa mais uma vez trabalhou em sintonia com o comportamento das bolsas internacionais e terminou a sessão em alta (+1,25%) - se recuperando das perdas do dia anterior.

A moeda norte-americana chegou a ceder em vários momentos ao longo do dia, mas as preocupações de sempre com a economia brasileira e a proximidade do fim de semana limitavam o movimento. No exterior, os ganhos do petróleo foram firmes desde o período da manhã, em meio à expectativa de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) possa coordenar um corte de produção. 

O avanço do petróleo em Nova York e em Londres favoreceu as moedas de alguns países  produtores, como o rublo russo e o peso mexicano, em detrimento do dólar. O Brasil, que também é produtor, viu o dólar cair em alguns momentos, mas o movimento não se firmou. Neste cenário, o dólar à vista marcou a máxima de R$ 4,0037 (+0,37%) às 10h29 e a mínima de R$ 3,9669 (-0,55%) às 14h39. Da máxima para a mínima, a moeda americana oscilou -0,92%.

No mercado de ações, a alta da Bolsa não foi suficiente para trazer o principal índice à vista de volta aos 40 mil pontos. O Ibovespa terminou o dia aos 39.808 pontos. Na mínima, marcou 39.324 pontos (+0,02%) e, na máxima, 39.901 pontos (+1,48%). Na semana, caiu 1,93%. No mês, acumula perda de 1,48% e, no ano, de 8,17%.

Nos EUA, as bolsas viraram e passaram a subir. Por volta das 18h, o Dow Jones ganhava 1,92%, o S&P, 1,83%, e o Nasdaq, 1,61%. As bolsas europeias também tiveram um dia de ganhos fortes, influenciadas pela alta de commodities como o petróleo e também pelo desempenho das ações do setor bancário, que tinham sofrido grandes quedas na véspera. O resultado, no entanto, também não reverteu as perdas acumuladas ao longo da semana. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou em alta de 2,91%, aos 312,41 pontos. Na semana, teve perda de 4,14%.

Por aqui, o noticiário doméstico foi escasso, tendo como um dos principais destaques a confirmação de Otávio Ladeira como secretário do Tesouro Nacional. A nomeação do economista foi bem recebida pelos analistas ouvidos pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, que o consideram sério, competente e avesso a atitudes controvertidas. 

Outro destaque do dia foi a viagem da presidente Dilma Rousseff a São Paulo, nesta tarde, para um encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. PT e Palácio do Planalto aguardam uma resposta de Lula sobre o sítio usado por ele em Atibaia, alvo de inquérito da Operação Lava Jato, para traçar uma estratégia de defesa do petista.

 (Com informações de Ana Luísa Westphalen, Gabriel Bueno da Costa, Karla Spotorno, Silvana Rocha e Paula Dias)

Mais conteúdo sobre:
DólarBovespaCâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.