bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Dólar valerá ainda menos até fim do ano

Previsão do mercado mostra que moeda pode chegar a R$ 1,86

Gustavo Freire, O Estadao de S.Paulo

02 de outubro de 2007 | 00h00

As projeções do mercado para a cotação do dólar no fim do ano recuaram de R$ 1,90 para R$ 1,86, segundo a pesquisa semanal Focus divulgada ontem pelo Banco Central (BC). No mercado, já há quem aposte em cotações ainda menores. ''''Se nada mudar no cenário econômico, o câmbio poderá terminar o ano em R$ 1,70'''', disse o estrategista da Arx Capital Management, Sérgio Goldenstein, que já foi chefe da mesa de Mercado Aberto do BC.A mudança de cenário para o câmbio não ficou restrita ao curto prazo. Para o fim de 2008, as contas foram refeitas e as previsões recuaram de R$ 1,94 para R$ 1,90. Na opinião dos participantes da pesquisa, a cotação do dólar só voltará a R$ 1,90 no fim de março do próximo ano.Com o dólar fraco frente ao real, o mercado já começou a vislumbrar algum ambiente mais positivo para o comportamento da inflação. ''''Aliada à correção dos preços dos alimentos, a queda do dólar poderá fazer com que a inflação deste ano acabe abaixo dos 4%'''', disse a economista da Tendências Consultoria Marcela Prada.Na pesquisa Focus, as projeções de IPCA para este ano caíram de 4,02% para 4%. A queda interrompeu uma série de seis semanas consecutivas de alta das estimativas feitas por um grupo de 100 analistas do mercado financeiro.Goldenstein já trabalha com uma estimativa de 3,9% de variação do IPCA neste ano. Para 2008, a queda das estimativas de câmbio em nada alterou as projeções de inflação, que permaneceram em 4,1%. Pesou em favor da estabilidade, na opinião de Marcela, a revisão para cima das estimativas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no próximo ano de 4,37% para 4,4%.Menos otimista, Goldenstein trabalha com um cenário de crescimento econômico de apenas 4% em 2008. ''''Nesse cenário, a inflação poderá terminar 2008 abaixo de 3,9%'''', afirmou. Na pesquisa Focus, as expectativas de expansão do PIB neste ano não mudaram e continuaram em 4,7%, mesmo porcentual esperado pelo BC.Goldenstein ainda vê espaço para o BC realizar mais dois cortes de juros de 0,25 ponto porcentual neste ano. ''''O balanço de riscos apresentados pelo Comitê de Política Monetária (Copom) para justificar a redução do ritmo de queda dos juros em setembro já mudou bastante'''', disse.Pelos dados da pesquisa Focus, a taxa de juros cairá mais 0,25 ponto porcentual na reunião dos dias 16 e 17 deste mês e ficará estável até meados do próximo ano. Mais conservadora, Marcela trabalha com uma aposta de estabilidade já na próxima reunião do Copom. ''''Veremos se o cenário mudará até lá para justificar um novo corte de juros.''''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.