Dólar volta a subir após Espanha reacender temores

A possível fragilidade no sistema financeiro espanhol trouxe de volta a apreensão com a Europa, levando o euro a devolver parte dos ganhos da última sexta-feira e o dólar à nova sessão de valorização. Depois de subir 4,90% ante o real em seis sessões consecutivas e de fechar praticamente estável na sexta-feira, o dólar à vista ontem avançou 0,16%, a R$ 1,8640. Em maio, a valorização acumulada era de 7,31%. A situação na zona do euro permanece delicada.

Cenário: Taís Fuoco, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2010 | 00h00

A Espanha decidiu intervir no CajaSur, um pequeno banco de poupança administrado pela Igreja Católica desde 1864. Analistas acreditam que a medida faz parte da reestruturação do sistema bancário em curso no país e, como a instituição responde por apenas 0,6% dos ativos financeiros, isoladamente não representa motivo para alarde. Mas a notícia já trouxe de volta o temor de um efeito cascata no sistema financeiro.

Nos Estados Unidos, indicadores positivos contribuíram para limitar a queda das bolsas. As vendas de imóveis residenciais usados subiram 7,6% em abril ante março, para a taxa anual sazonalmente ajustada de 5,77 milhões de unidades. Já o Índice Nacional de Atividade subiu ao seu nível mais elevado desde dezembro de 2006, apesar da retração contínua dos números sobre o consumo e sobre o setor imobiliário. O índice subiu para 0,29 em abril, de 0,13 em março. Em Nova York, o Índice Dow Jones caiu 1,24% e o Nasdaq, 0,69%.

No Brasil, a Bovespa recuou 0,57%, aos 59.915,14 pontos. No mês, a perda acumulada era de 11,27% e, no ano, de 12,64%. No mercado de juros, a taxa para janeiro de 2011 cedeu a 10,91%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.