Dólar volta a subir e Bovespa cai 1,55%

O cenário internacional voltou a atingir os mercados domésticos nesta sexta-feira. A preocupação com a inflação norte-americana, mais uma vez, pressionou os juros dos títulos norte-americanos e derrubou as bolsas em Nova York.Controle da inflação em risco abre a possibilidade de que os juros nos Estados Unidos subam mais. Para o investidor, isso significa ganho maior com risco menor. O resultado para países emergentes, como o Brasil, que oferecem um risco maior é a perda da atratividade em seus investimentos.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou o dia em queda de 1,55%. O dólar comercial teve mais um dia de alta e fechou cotado a R$ 2,1440, oscilando entre a máxima de R$ 2,1490 e a mínima de R$ 2,1130. Com o resultado de hoje, a moeda norte-americana fechou o dia em alta de 2,05% e, nas últimas duas sessões, a alta acumulada é de mais de 4%. O risco Brasil - taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro em relação à capacidade de pagamento da dívida do país - disparou 12 pontos no fim da tarde, mesmo depois de o presidente da Bolívia, Evo Morales, ter voltado atrás em suas declarações agressivas ao Brasil e à Petrobras.

Agencia Estado,

12 de maio de 2006 | 19h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.