Dona da GBarbosa avança no Nordeste

Expansão. A chilena Cencosud, que comprou a rede sergipana em 2007 e se tornou a quarta maior rede supermercadista do Brasil, fechou ontem a aquisição da rede baiana Perini; em março, já havia adquirido os supermercados SuperFamília, do Ceará

Tiago Décimo / SALVADOR, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2010 | 00h00

A rede varejista chilena Cencosud deixou claro, ontem, que está interessada em continuar expandindo suas operações no Nordeste brasileiro. Dona da varejista GBarbosa desde 2007, a empresa anunciou a aquisição da Perini, principal rede de supermercados da Bahia com foco na classe A.

A negociação foi concluída no fim da tarde e envolveu as oito lojas da Perini em Salvador. O valor da venda ficou em US$ 27,7 milhões. Essa foi a segunda aquisição da Cencosud em menos de dois meses: no dia 17 de março, a rede chilena concluiu a compra da cearense Super Família, por US$ 33,1 milhões. O investimento englobou as quatro lojas e a Central de Distribuição que a rede tem em Fortaleza.

A Cencosud começou a atuar no Brasil em 2007, com a aquisição da rede GBarbosa por US$ 430 milhões. Com essa compra, os chilenos já chegaram ao País como quarta maior rede varejista, atrás de Pão de Açúcar, Carrefour e Walmart. A rede, com sede em Sergipe, tem 29 supermercados, um atacado, 45 farmácias e 25 lojas Eletro Show - unidades pequenas, em que os clientes escolhem eletrodomésticos e eletroeletrônicos em mostruário e podem fazer a compra pela web. A rede atua também na Bahia e em Alagoas.

Logo depois de ter comprado a GBarbosa, o grupo chileno adquiriu a Mercantil Rodrigues, com atuação no mercado atacadista nas cidades de Salvador e Feira de Santana (BA). O valor da negociação não foi divulgado.

"As aquisições são uma questão de oportunidade", diz o presidente da GBarbosa, Silvio Pedra. "A Cencosud entrou no Brasil pelo Nordeste e estamos muito felizes e confiantes com os resultados obtidos."

Para o consultor em varejo Eugênio Foganholo, a operação demonstra o apetite da empresa chilena pelo mercado brasileiro. "A estratégia deles tem sido comprar empresas bem estabelecidas e ter um portfólio de bandeiras diferenciado", disse.

Marcas. Um detalhe comum nas operações da Cencosud é a aquisição de marcas regionalmente fortes e de tradição. Todas elas foram mantidas, o que tornou rápida a assimilação pelos consumidores e consolidou a atuação no Nordeste, região do País com maior crescimento no varejo nos últimos anos.

A Perini, por exemplo, foi criada em 1964 e tem mil funcionários. A rede, fundada a partir de uma padaria pelo espanhol José Faro Rua, o Pepe Faro, ganhou destaque por ser a primeira a introduzir, em Salvador, alimentos e bebidas importadas que só eram encontrados em centros como São Paulo e Rio. Hoje, alguns são de importação própria.

"Estamos entrando em um novo segmento no Brasil, o dos supermercados premium", diz Pedra, ressaltando que a rede opera com lojas do gênero nos outros países nos quais atua - Argentina, Peru e Colômbia, além do Chile. O executivo também anunciou a inauguração de mais uma loja da rede na Bahiaem Lauro de Freitas - a primeira fora de Salvador.

Nos cinco países em que tem operações, a Cencosud emprega 100 mil funcionários e tem planos de investimento de US$ 700 milhões este ano. O grupo lidera o mercado varejista peruano, com a rede Wong, e briga pela liderança no Chile (com as bandeiras Jumbo e Santa Isabel) e na Argentina (com Jumbo e Disco).

Segundo Foganholo, o Chile é o país em que as empresas varejistas mais partem para o exterior. "O mercado concentrado gerou empresas muito fortes, que precisam procurar negócios em outros países para crescer", disse.

Com o crescimento da classe C e um processo de distribuição de renda, a região Nordeste tornou-se um alvo interessante para a Cencosud. "São operações que exigem escala e isso atraiu o grupo chileno, que tem uma característica agressiva de atuação", disse Cláudio Felisoni, coordenador do Programa de Administração de Varejo da USP.

/ COLABOROU NAIANA OSCAR

PARA LEMBRAR

Com planos de se tornar "o varejista mais lucrativo e de maior prestígio da América Latina", a chilena Cencosud chegou ao Brasil em 2007, desbancando Carrefour e Pão de Açúcar, que também tinham interesse em adquirir a rede GBarbosa, com sede em Sergipe.

A Cencosud pagou US$ 430 milhões ao fundo de investimentos americano Acon Investments, que controlava a rede nordestina. O valor era a soma da compra integral da GBarbosa, por US$ 380 milhões à vista, mais uma dívida de US$ 50 milhões. Com a aquisição, o grupo chileno suspendeu o processo de abertura de capital da GBarbosa, iniciado na Bovespa. Fazer uma oferta de ações (IPO) da rede de supermercados era a segunda opção estratégica do Acon, caso não conseguisse o preço desejado pela GBarbosa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.