Dona da marca Assolan vai abrir capital na Bolsa

Dez meses depois de entrar pela primeira vez com o pedido de registro de capital aberto na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Hypermarcas, do empresário João Alves de Queiroz (o Júnior, fundador da Arisco), deve finalmente abrir o capital. A empresa pretende levantar R$ 1 bilhão com a oferta. Na sexta-feira, véspera de carnaval, a companhia protocolou o pedido de abertura de capital na CVM.Os acionistas devem vender 25% do capital da companhia, o mínimo exigido para fazer parte do Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Trata-se de uma oferta primária. Ou seja: todo o capital levantado será reinvestido na companhia. Os sócios mexicanos - um fundo de private equity que injetou dinheiro na companhia na ocasião da compra da DM Farmacêutica, em maio do ano passado - continuarão na Hypermarcas após a abertura de capital. Procurada, a empresa não se manifestou. Até ontem à noite, o prospecto preliminar ainda não estava disponível no site da CVM. Com o dinheiro do IPO (sigla em inglês para oferta pública inicial de ações), Júnior pretende transformar a sua Hypermarcas em uma gigante brasileira de bens de consumo. O modelo de inspiração é a anglo-holandesa Unilever e a americana Procter & Gamble. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.