Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Dona do Magazine Luiza diz que aumento de impostos não prejudicará companhia

A empresários, Luiza Helena Trajano afirmou que um eventual aumento na carga tributária não contemplará muitos produtos

REUTERS

10 Dezembro 2014 | 09h53

A diretora-presidente da varejista Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano, disse nesta quarta-feira, 10, que eventual aumento tributário a ser decidido pelo governo federal não contemplará muitas categorias de produtos, prevendo pouco impacto na companhia com os ajustes. 

"O que tiver é muito pequeno", afirmou a executiva, completando que pelas conversas mantidas com o governo federal, enxerga possível elevação na carga sobre móveis, mas de pequena ordem, e que será mantida a desoneração sobre itens que antigamente pagavam alto Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), como máquinas de lavar.

Outro mundo. A diretora presidente do Magazine Luiza disse que a companhia vê o Nordeste como região de importância ímpar, com muitos clientes impulsionando a demanda do varejo ao comprarem eletrodomésticos pela primeira vez. 

"Temos ido para interior do Nordeste ... e é outro mundo", afirmou a executiva em encontro com investidores realizado em São Paulo, exemplificando que se no país 54% das famílias têm máquina de lavar, no Nordeste essa taxa é de 24%. 

Segundo o diretor-superintendente da companhia, Marcelo Silva, uma boa parcela das lojas da companhia na região ainda está em fase de maturação, e que, por isso, o Magazine vê espaço para melhoria de performance nessas unidades.

Mais conteúdo sobre:
VAREJOMAGAZINELUIZANORDESTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.